quinta-feira, 21 de julho de 2011

Línguas Estranhas é o sinal de Batismo com Espírito Santo?


Vamos pensar um pouco?! Podemos dizer que um dos assuntos mais polêmicos da realidade da igreja chama-se “dons do Espírito Santo”. Tenho lido e estudado algumas coisas sobre esse assunto, e tenho visto o quanto às pessoas têm baseado sua vida cristã em suas experiências, coisa bastante equivocada, nossa fé deve ser baseada e fundamentada na palavra de Deus. Vendo um dos vídeos do famoso e polemico “Pastor” e “Deputado” Marco Feliciano sobre batismo com Espírito Santo, me alertei para o que é do senso comum das pessoas que se têm como convertidas. Em uma de suas falas ele afirma: “Quando falamos em línguas, estamos batizados com fogo, com o Espírito Santo.” E é sobre isso que vamos falar aqui nesse texto.
Antes de tudo quero explicar a questão do batismo com o Espírito Santo. 1ª Coríntios 12:13 diz: “Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.”  O texto é claro e não é necessário nenhuma destreza exegética para entender o seu significado. TODOS, e não somente alguns, foram batizados com o Espírito Santo. Não há uns poucos privilegiados; a bênção é de todos aqueles que crêem nas Escrituras, ou melhor, no que as Escrituras dizem acerca do bendito Filho de Deus. Muitos pentecostais e neopentecostais se baseiam em Atos 2 para justificar que só alguns tem o privilegio de ser batizado no Espírito Santo por falar em línguas, e que todo crente tem que buscar o batismo com Espírito Santo,  mas uso o mesmo capitulo 2 do mesmo livro de Atos para reforçar o que afirmo acima, que a graça do batismo com o Espírito Santo é de todos os que crêem. Quais “pré-requisitos” Pedro apresenta para alguém receber o batismo com o Espírito Santo, para receber o "dom do Espírito"? Vejamos: "Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo". (Atos 2:38) Não precisa ser um gênio para entender isso amados, somos batizados com o Espírito Santo quando aceitamos Cristo como Salvador em nossas vidas, e não algum dom, como por exemplo o de línguas.Os dons são uma graça dada por Deus a quem ele quiser conforme for útil em sua vontade: “E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.” (1ª Coríntios 12:5-7) São diversos os ministérios e operações, e dons manifestos do Espírito, mas Deus assim o faz conforme sua vontade para o que lhe for útil, não é difícil de entender, o fato é que não querem ver.
 Temos que ter cuidado para não cairmos na meninice. 1ª Coríntios 14:20 diz: “Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento.” Paulo recomenda que sejamos sábios, e que não venhamos a cair na infantilidade de “infantilizar” os dons do Espírito. Esquecemos que os dons são concedidos por Deus conforme sua vontade, e que o espírito é sujeito ao profeta. (1ª Coríntios 14:32). Eu acredito no dom de línguas e em todos os dons de Deus, é bíblico, Deus concedeu a sua igreja. No dia de pentecostes foi de fundamental importância o dom de línguas e profecias, para que todas aquelas pessoas de vários povos que estavam ali ouvissem da parte de Deus em sua própria língua (Atos 2:7-8) e viessem a se converter! Coisa que também levo em consideração e acho maravilhoso da parte de Deus. Já pensou você chegar a um povoado no meio da Ásia, simples e humilde e alguém ao pregar o evangelho falar um português fluente para que Deus fale diretamente ao seu coração? Isso é falar em línguas também! Isso é dom de Deus! Falar em línguas não é só falar expressões extáticas. São blás-blás-blás sem significado algum. Ninguém precisa de algo sobrenatural para dizer "alabacanta alabachéia" (já perceberam quantas pessoas falam as mesmas expressões?). Depois que certos “pregadores” começaram a dizer que línguas estranhas é o unico sinal de batismo com Espírito Santo, esse dom, como tantos outros, são banalizados dessa maneira! É muito “pizzaguaranabaixou”, se afirmando estar trazendo uma mensagem da parte de Deus para igreja. Como? Quem vai entender? O dom de línguas é de edificação própria de quem o tem. Se você fala em línguas, amém, você se edifica muito com esse dom, mas não leve confusão a igreja, a não ser que seja verdadeiramente direcionada aos outros, como aconteceu no dia de pentecostes! Para finalizar, quero dizer que Deus não confunde seu povo! Então amados, quando houver confusão e falta de clareza no que “supostamente Deus tem pra você”, duvide. “Profetadas”, mistérios em línguas estranhíssimas que de nada te valem porque você não entendeu nada, são pistas bem visíveis de que a meninice reina, e não a presença de Deus. John Piper, pastor americano diz que o grande problema é tirar a Supremacia de Deus da pregação do evangelho. Se prega de tudo por ai, mas esqueceram que Deus deve ser supremo em tudo que a igreja venha a fazer. Que Deus tenha misericórdia de nós, e que ele transforme as mentes do seu povo, perecemos por falta de conhecimento! Os dons são variados, não são apenas nove como muitos afirmam, e por sermos batizados no Espírito Santo, temos dons variados conforme a vontade de Deus. Falar em línguas estranhas não é, nunca foi, e nunca será sinônimo de “super-crente”, a maioria dos picaretas dizem falar em línguas. Pense nisso!

Lankaster A. Oliveira